sábado, 10 de dezembro de 2016

O Espírito Infinito em nós, a Alma de nossas almas...

"Um filho perguntou ao pai: 'Mestre, fale-me sobre Brahman'. 
E o pai respondeu: 'Compreenda Aquele de onde todas as coisas são provenientes, por quem vivem as coisas e para onde as coisas regressaram - este é Brahman'. (Taittirīya Upaniṣad, 3. 1. 1)

Em nossas escrituras devocionais (bhakti) chamamos Brahman por vários nomes como Narāyāṇa ou Kālī ou Śiva . Em Vedānta chamamos Īśvara ou Sat- Cit-Ānanda, Existência-Consciência-Felicidade Infinitas. Ele habita nosso ser como o Espírito de nossos espíritos. E nós também habitamos Nele.

Devemos sentir, pelo menos, a proximidade dele. Se nós não podemos sentir Sua proximidade, devemos tentar desenvolver a consciência de que ele está mais perto do que o mais próximo, que nos é mais caro que o mais querido.

Como já disse, para tudo isto precisamos ter a correta concepção de Deus. Mas Deus é vasto demais para a nossa concepção. Dou um exemplo: Somos como pequenas bolhas. O oceano é muito grande até mesmo para a nossa concepção. Então o que devemos fazer? Devemos encontrar algumas ondas potentes e nos deixar mover em direção a elas, nos agarrarmos a elas e através delas, no decorrer do tempo, teremos uma ideia do próprio oceano. 

Similarmente, começamos nossa viagem espiritual com uma onda grande como uma montanha: Nosso Iṣṭa Devatā. Nós O adoramos, oramos a Ele, e através de dele, chegamos a ter uma consciência mais elevada e uma concepção mais ampla da realidade. O Iṣṭa Devatā nos diz: 'Olhe aqui. Quer sejamos uma onda poderosa ou uma pequena bolha, cada um de nós tem o oceano infinito por detrás de si mesmo.' Quando chega o momento apropriado, Ele nos revela a verdade mais elevada, revela-nos que Ele mesmo não é outro senão o Espírito infinito."

Fontes: 
Texto - Swami Yatiswarananda, monge da Ordem Ramakrishna, Livro Meditation and Spiritual Life
Imagem - Jandir Carlos Welner, Centro Ramakrishna Vedanta Curitiba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe: