quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Uma Religião para o Homem Moderno

"A religião moderna deveria nos ensinar sobre nossa própria essência como Espírito. Isto é o que se requer da religião moderna, ou do ensinamento espiritual moderno. Se pudermos nos tornar cônscios daquela essência espiritual interior, nossas relações com o mundo inteiro sofrerão tremendas mudanças, porque veremos que esse 'Eu" está em toda parte. Como Espírito, 'Eu' estou em toda parte. É de fato esse 'Eu' que se manifesta como diferentes indivíduos. 

Está dito no Bhagavad Gita que, quando firo alguém, estou ferindo a mim mesmo. E se alguém me fere, fere a si mesmo. Somos todos um único e onipresente Indivíduo. Diferenças são causadas pelas roupagens que damos àquele Indivíduo, envoltórios que sobrepomos no Espírito, pensando que Este se divide. 

Nos textos em sânscrito, oferece-se a ilustração do 'pote' e do 'espaço' (ou akasha): um pote tem espaço em seu interior; esse é o 'espaço relativo ao pote'. 

No entanto, também do lado de fora o 'espaço' está presente. Portanto, não há limitação real do 'espaço'. A limitação é somente para nossa compreensão. Nós entendemos erroneamente que, uma vez que o pote é limitado, logo o espaço em seu interior também o seria. Da mesma forma, quando pensamos em nós mesmos como limitados pelo complexo corpo-mente, ocorre apenas que os indivíduos parecem ser diferentes uns dos outros. Mas suponhamos que a ênfase esteja no outro aspecto, o Espírito; nesse caso não haverá diferença alguma. 'Estou em tudo' - essa é a declaração da Vedanta.
'Seus pés estão em toda parte, Suas mãos estão em toda parte. Seus ouvidos estão em toda parte; Ele tudo cobre, tudo permeia.' (Svestavara Upanishad, III.16)
Deus está em todo lugar, o Espírito que mora em nosso interior: Ishvarah sarva bhutanam hrddeshe Arjuna tishthati (Bhagavad Gita, 18:61). 'Ele (Ishvara) reside no coração de cada ser.' Aquele Ishvara não é outro senão o meu Ser.
---
Trecho do Artigo "A Vida Espiritual na Era Moderna, de Swami Bhuteshananda, Revista Vedanta, Out-Dez 2015. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe: