terça-feira, 13 de maio de 2014

Princípios e propósitos da Vedanta


“Da mesma forma que diferentes córregos, tendo suas fontes em diferentes lugares, todos juntam suas águas no grande mar, de forma similar os diferentes caminhos que os homens seguem por diferentes tendências, por mais divergentes que possam parecer, retos ou cheios de curvas, todos levam a Ti, ó Senhor.”


Da forma mais crua de adoração simbólica a mais sublime concepção de verdade abstrata, todas as fases da religião têm um lugar na religião da Vedanta. Ela capacita um dualista a encontrar seu supremo ideal de auto entrega aos pés do Senhor; e também a um monista realizar seu verdadeiro Ser interno como o Ser de tudo, sem depender de nenhuma forma externa de Deus.

Um Ser Infinito deve ser com forma e sem forma. Os sábios O definem como Desconhecido e Não Conhecível, porque é impossível para a mente finita compreender o Infinito completamente. Por isso o ensinamento da Vedanta nunca rotula o caminho de Deus por um nome ou seita, mas reconhece a necessidade de inumeráveis formas de adoração apropriadas aos vários graus de desenvolvimento entre os seres humanos. Ela não interfere com qualquer modo natural de pensamento do homem, mas acelera seu crescimento dando a ele ajuda e simpatia onde quer que ele se encontre. Ela aceita todas as Escrituras Sagradas do mundo e reverencia todos os Salvadores e profetas. Acredita que o mesmo Evangelho da Verdade é pregado por todos, a única diferença é a da linguagem e não do significado essencial. Por isso, não existe lugar na Vedanta para o proselitismo.

A Vedanta ensina a cada um como atingir o mais elevado em sua própria religião, mas diz a ele que deve permitir o mesmo privilégio ao seu irmão, que pode estar seguindo algum outro aparentemente diferente caminho. Na religião da Vedanta todos somos filhos de Deus e temos direitos iguais sobre Ele. Assim não há lugar para discórdias; mas vendo o único Divino Poder detrás de todas as formas de adoração, ela proclama a tolerância e assimilação universal, e a toda humanidade dá esta bênção:

“Que Ele que é o Pai nos Céus dos Cristãos, Allah dos Maometanos, Buddha dos Buddhistas, Ahura Mazda dos Zoroastrianos e a Divina Mãe e Brahman dos Hindus, dê a todos paz e bênçãos . Paz! Paz! Paz para nós e para todos os seres vivos!”
---
Swami Paramananda, "Princípios e Propósito da Vedanta"