quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Ano Novo e dia de Ramakrishna Kalpataru

O dia primeiro de janeiro, além de ser o dia de “Ano Novo”, tem um significado especial para os devotos de Sri Ramakrishna. Nesse dia é que o Mestre revelou-se ao mundo e manifestou toda a sua grandeza espiritual. A partir dessa data ele passou a ser chamado popularmente de Kalpataru (a árvore que satisfaz todos os desejos).

O fato que deu origem a essa crença ocorreu no ano de 1886, em Kasipur - Índia, onde o Mestre estava morando para tratamento médico do câncer que tinha em sua garganta. No dia primeiro de janeiro desse ano ele sentia-se particularmente bem e saiu do seu quarto para passear nos espaçosos gramados da casa-jardim. Aproximadamente trinta devotos estavam presentes no local e quando viram o Mestre, aproximaram-se dele e se prosternaram aos seus pés.

O Mestre perguntou ao seu discípulo Girish: "O que foi que você viu em mim para me glorificar publicamente, e diante de todos?". Girish prosternando-se aos pés do Mestre, disse-lhe com as mãos juntas e a voz embargada: "O que mais posso dizer Daquele, que até mesmo Vyasa e Valmiki falharam em exprimir uma fraçăo da Sua glória, em seus épicos imortais e Puranas".

Ao escutar as palavras de Girish, Sri Ramakrishna ficou profundamente emocionado e sua mente projetou-se a um plano muito elevado. Ao ver o rosto do Mestre, divinamente iluminado, Girish ficou muito emocionado e começou a gritar com grande alegria: "Glória a Ramakrishna", prosternando-se repetidas vezes aos seus pés. Sri Ramakrishna, com um sorriso no rosto, olhou para todos os presentes e falou: "O que mais direi a vocês. Que todos sejam espiritualmente despertados”. Após ter dito essas poucas palavras entrou em samadhi (êxtase espiritual).

O que se seguiu é descrito nas palavras de Swami Saradananda, que havia visto todo o episódio a certa distância. O seu relato é o seguinte: "Quando os devotos escutaram aquelas palavras de benção e proteção deram repetidos gritos de alegria, exclamando: 'Glória a Ramakrishna'. Alguns deles começaram a rir, outros a chorar, alguns a meditar, e outros ainda começaram a chamar aqueles que não estavam presentes, em altas vozes, para que também viessem para serem abençoados, receber a graça do Mestre, e participar da beatitude que estava sendo partilhada por Sri Ramakrishna em abundância". 

Mais tarde, ao se pesquisar sobre o acontecimento, soube-se que os devotos que foram abençoados pelo Mestre naquele dia tiveram maravilhosas experiências e visões espirituais. Alguns deles sentiram-se bem-aventurados com uma espécie de ascensão divina, outros sentiram-se abençoados com o despertar de kundalini (energia vital), outros ainda tiveram visões extáticas de seus ideais espirituais e alguns viram Luz divina. Todas as experiências foram singulares e particulares, e embora tivessem sido diferentes em seu conteúdo, o sentimento de terem participado da extraordinária beatitude divina foi comum a todos eles. Como o Mestre havia concedido sua graça para cada um e para todos, alguns sentiram que ele havia revelado a si mesmo nesse dia como a árvore Kalpataru. Desse modo o dia primeiro de janeiro passou a ser conhecido como o "Dia de Kalpataru".

A residência de Kasipur, que atualmente é um Centro de Vedanta da Ordem Ramakrishna, tornou-se naturalmente um lugar de peregrinação. Sri Ramakrishna viveu ali por aproximadamente oito meses e seus devotos têm vindo de todas as partes do mundo para visitar os recintos sagrados da casa, para sentir a presença viva do Mestre e para participar do legado espiritual que ele ali deixara. O clímax é alcançado todo ano no dia de Kalpataru, quando milhares de pessoas se dirigem a Kasipur com a esperança de que a graça concedida pelo Mestre em 1º de janeiro de 1886 venha a se repetir novamente nesse dia. 

Năo se pode deixar de imaginar de que existe algum vínculo entre o dia de Ano Novo e o dia em que o Mestre revelou a sua natureza divina. O dia de Ano Novo é um dia de alegria, esperança e de muitas expectativas. Todo ser humano espera ter um novo ano feliz, próspero e pacífico. Em muitos países é feita uma efígie de um velho com a inscrição do ano que se finda. A meia-noite, entre gritos de júbilo, canções e danças, o "velho" é deixado para trás. "Para fora o velho; salve o novo" é o grito que se houve durante o dia de Ano Novo. Mas com o passar do tempo tudo é esquecido e estamos prontos novamente para comemorar o Ano Novo. 

Será que não podemos ter um Ano Novo que permaneça sempre "novo"? Sim, é possível, mas năo fisicamente. Um Ano Novo que não seja limitado é concebível apenas em dimensőes que transcendem o tempo. Portanto, do ponto de vista espiritual, um Ano Novo que signifique uma nova vida, um novo nascimento espiritual, torna-se muito mais significativo porque deixa de ser um fenômeno temporário. Todos os nossos esforços espirituais inicialmente têm em vista apressar a chegada desse Ano Novo. Mas, para poder participar da celebraçăo desse Novo Ano, o ano velho com os seus antigos costumes e desejos tem que ser queimado pelo fogo do discernimento, desapego, oraçăo e devoçăo a Deus. Quando a mente estiver suficientemente pura, esse "Novo Ano" ocorre e, então, Ramakrishna Kalpataru se manifesta ao aspirante e lhe concede a graça divina. Abençoado e fortalecido com essa graça, o aspirante consegue superar os obstáculos sutis que ocorrem nos níveis mais elevados de sua vida espiritual. Dessa forma ele năo tem mais dificuldade para purificar sua mente dos desejos sutis e dos impulsos que ainda ali permanecem. Para o aspirante, assim abençoado, cada momento da sua vida se converte em um "Dia de Ano Novo", que o aproxima cada vez mais da perfeição e plenitude espiritual..

Este é o significado da celebraçăo do dia de Kalpataru no dia primeiro de janeiro feita pelos devotos de Sri Ramakrishna e seus simpatizantes, lembrando do acontecimento inesquecível que ocorreu em Kasipur e do poder redentor do Senhor. É também um conselho gentil a todo aspirante espiritual, para que vá além do aspecto físico do episódio e concentre-se em seu significado espiritual. A concessăo da "graça de Kalpataru" năo está limitada aos poucos devotos que haviam se reunido em Kasipur no dia primeiro de janeiro de 1886, mas poderá acontecer nos dias de hoje com qualquer pessoa, da mesma forma que aconteceu naquele dia maravilhoso. Um sentimento especial envolve os devotos de Sri Ramakrishna nesse dia em que eles esperam que se repita com eles esse acontecimento inspirador. 

(Texto extraído da Revista Vedanta Kesari – Editorial de janeiro de 1887)