segunda-feira, 1 de abril de 2013

"Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus."

"Qual é essa pureza que precisamos ter antes que Deus se revele a nós: Todos nós conhecemos pessoas que poderíamos descrever como puras — no sentido ético — mas que não têm visto Deus. Por quê? A vida ética, a prática decidida das virtudes morais, se faz necessária como preparação  para uma vida espiritual, sendo, portanto, ensinamento fundamental de qualquer religião. Todavia, isso não nos habilita a que vejamos a Deus. É como o alicerce de uma casa; não é a estrutura superior.
 
Como testar a pureza? Procure pensar em Deus, exatamente neste momento. O que você encontra?
O pensamento da presença dele passa por nossa mente, talvez como um relâmpago. Seguem-se depois muitas distrações. Você acaba pensando em tudo o mais que há no universo, menos em Deus. Tais distrações evidenciam que a mente é ainda impura e que não está preparada para receber a visão de Deus.
 
As impurezas consistem em diferentes impressões que a mente foi acumulando através de sucessivos nascimentos. As impressões foram criadas e armazenadas no inconsciente da mente, como conseqüência de ações e pensamentos individuais, representando em sua totalidade o caráter da mente. Importa dissolver por completo essas impressões antes que se possa considerar a mente purificada. São Paulo refere-se a essa revisão mental em sua Epístola aos Romanos, ao dizer: '... busquem transformar-se através da renovação da mente'. "
 
In Sermão da Montanha segundo o Vedanta. Swami Prabhavananda. São Paulo: Pensamento, 1986. p.29-30.

Leia mais: http://www.estudantedavedanta.net/O-Sermao-Da-Montanha-Segundo-a-Vedanta.pdf
Leia também: O coração do devoto é a morada de Deus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe: