quinta-feira, 17 de maio de 2012

A devoção que nos leva a Deus

"..na companhia de um verdadeiro santo se sente uma paz que não é deste mundo. Desvanecem-se, pelo menos nesses momentos, as dúvidas sobre a vida espiritual, da existência de Deus e coisas semelhantes. Cantar o nome e glórias de Deus é a terceira ajuda neste caminho. Supostamente todas estas ajudas nos são de grande valor se possuímos desapego e discernimento, se podemos discernir entre o que é Real, Eterno e o que é irreal, perecível e transitório. Quando se está capacitado em distinguir o que é bom do que é mal para sua vida espiritual, adquire-se o desapego.

Agora sim, pode-se perguntar “Por que alguns conseguem êxito na vida espiritual em pouco tempo, enquanto outros nunca o conseguem nesta vida?” Os hindus acreditam que esta não é a única vida do ser humano, que passam várias vezes pelo nascimento e que cada vez que vem à terra os seres tentam se elevar mas nem sempre conseguem. Sem dúvida, tanto o bom como o mal que se praticou deixa um respectivo selo na mente e este forma as tendências inatas, quando voltam a nascer. Quem se esforça para chegar à meta, mas devido a fraquezas resvala de seu estado elevado, quando volta a nascer, traz consigo todos os méritos adquiridos e começa dali; consequentemente, ao que faltava pouco para chegar à meta, consegue êxito em pouco tempo nesta vida. Sri Ramakrishna ilustra isto com um exemplo bem familiar: “A verdade é que um homem consegue bastante êxito por causa das tendências herdadas das vidas anteriores. A gente pensa que ele o alcançou de repente. Um homem bebeu uma garrafa de vinho até o amanhecer, com a qual ficou completamente embriagado. Começou a se comportar indevidamente. As pessoas se assustaram ao ver que ele ficou embriagado a tal ponto tomando somente um copo de vinho. Mas outro homem lhe diz: ‘Por que você está assombrado? Ele esteve bebendo durante toda a noite.’

Nenhum esforço para o bem é em vão, tudo se acumula e nos ajuda em nossa vida. Portanto, vamos continuar nos esforçando, mesmo que às vezes deslizemos no caminho. Com perseverança e pela graça de Deus chegaremos à meta."
___

Swami Paratparananda em 21 nov 1979 - Leia a  palestra completa

domingo, 13 de maio de 2012

Adorando a Deus como mãe, adorando-o em cada mãe

"Muitos só se voltam para Deus depois de passar por grandes sofrimentos. Mas aquele que ainda criança ofereceu a flor de sua mente ao Senhor, é uma criatura abençoada."

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Além da consciência do ego

"Temos que ir além da consciência do ego. Os grandes líderes espirituais que alcançaram o estado supraconsciente enfatizam que a mente anseia pela Verdade. A não ser que a mente mova-se para longe do que é temporal, em direção do eterno, não poderá alcançar essa Verdade. Sri Ramakrishna disse: "Enquanto existir uma fibra que se desfia da linha, a mesma não pode passar pelo buraco da agulha". As pessoas que anseiam superar os seus desejos pelos prazeres transitórios e cultivar o anelo pelo eterno devem praticar certas disciplinas para alcançar este estado supraconsciente.


Se pudermos superar o desejo pelo que é transitório, poderemos dar início à nossa jornada em direção do Supremo. Mas como faremos isto? Em primeiro lugar não devemos nos desviar de nossos princípios morais. Devemos tentar ser sinceros, verdadeiros, caridosos e ao mesmo tempo continuar a cumprir com os nossos deveres. Desse modo conseguiremos o máximo da vida. O princípio moral é que dá suporte a nossa saúde física. O princípio moral é a base do poder de raciocínio, bem como do poder espiritual. No momento em que nos desviamos de nossos princípios morais colocamos em risco toda a nossa vida. Devemos ser firmes nesses princípios morais e continuar a viver a nossa situação presente. Assim obteremos o melhor da vida e, ao mesmo tempo, perceber e corrigir nossas imperfeições. Pensaremos: "Do fundo do meu coração, estou almejando a vida eterna; do fundo do meu coração estou anelando por uma alegria inexpressável".

Existem muitos e diferentes caminhos espirituais. Temos que desenvolver devoção a Deus fazendo nossos deveres como formas de adoração. Temos que praticar disciplinas físicas e mentais. Somente quando uma devoção natural florescer no coração, e só então, é que se pode efetivamente meditar em Deus. Pode-se pensar intelectualmente que Deus é o Ideal supremo e agarrar-se a isso, mas a menos que se possa desenvolver um natural e espontâneo anelo por Ele a meditação não pode ser praticada com sucesso.

Através da meditação profunda, quando a mente está tranquila e serena, pode-se ter a percepção da Realidade. Deus não é somente um Ser pessoal; Ele está manifestado no universo inteiro. Ele está em todos os lugares; Ele é a Existência, o Absoluto, o Um. Ele não é uma existência material; é a Luz de todas as luzes; é sempre resplandecente. Ao vermos qualquer coisa neste mundo, deveríamos nos lembrar daquela Luz Básica, subjacente em todas as coisas e em todos os tempos; daquela Consciência Pura, que se encontra escondida por traz deste universo múltiplo.
 
A expansão da consciência somente poderá ser alcançada se sobrepujarmos as limitações do eu. O verdadeiro Ser está sempre brilhando em nosso interior. Quanto mais meditamos nesse Ser, maior será a nossa realização de que não somos nem o corpo físico, nem a mente. Somos puro espírito. Quanto mais percebermos esse fato, maior será o nosso sentimento de que não pertencemos a este mundo físico, que pertencemos à ilimitada e Suprema Realidade.

Temos que desenvolver a consciência espiritual, que nos une com o supremo Espírito. E só podemos chegar a este estado através das disciplinas morais e espirituais. Todos os grandes santos e místicos do mundo pagaram esse preço pelas suas experiências. Quando uma pessoa realizar a Verdade Suprema, será conduzida a uma vida livre das fraquezas comuns da humanidade, livre do egoísmo. Ficará estabelecida para sempre na Verdade e na Luz."

Lê-se no Mundaka Upanishad:

“Quando Ele, que é imanente e transcendente, é conhecido, diretamente experienciado, então todas as dúvidas são dissipadas. Todos os nós do coração, que prendem uma pessoa a este universo sensível, são completamente desfeitos e todo o Karma passado acumulado é apagado”.
___
Extraído do Livro “Meditation: Its Process, Practice, And Culmination” do Swami Satprakashananda