domingo, 22 de abril de 2012

Espiritualizar o Cotidiano

"Até uma coisa muito pequena, quase insignificante, pode ser enfocada numa perspectiva espiritual. Darei um exemplo: Havia um monge que trabalhou comigo, ele continua lá em nosso mosteiro matriz. Cada vez que recebia uma correspondência, a primeira coisa que fazia era oferecê-la aos pés de uma imagem da Divindade. E só então abria o envelope para ler a carta. E o mesmo fazia quando ia enviar a carta resposta, colocando-a aos pés da Divindade, antes de remetê-la. A idéia é muito simples, mas este homem aprendeu a espiritualizar uma pequena parte do seu cotidiano.

Podemos também fazer isto com o nosso trabalho cotidiano. De qualquer maneira o trabalho terá que ser feito, mas você pode estabelecer um elo entre o que está fazendo e a divindade. Muita gente sabe disso, lê a esse respeito, mas depois acaba esquecendo. Esse esquecimento se torna um grande problema. Mas se esse ponto for relembrado, pode-se estar cozinhando, correndo no parque, dirigindo, fazendo uma prova, etc., um elo com o divino é criado, e a pessoa faz de si mesma um instrumento em suas mãos. Estará divinizando a si mesma. Pouco a pouco, sua mente vai-se acostumando com as ondas da divindade, e de forma gradativa, mente e coração vão se tornando mais e mais unidos. Novos hábitos são criados e automaticamente se percebe que qualquer tipo de atividade possui uma corrente subjacente de divindade. "
__
Swami Nirmalatmananda - Diretor Espiritual da Ordem Ramakrishna no Brasil
Excerto de uma palestra proferida no Centro Ramakrishna Vedanta do Rio de Janeiro em maio/2004.
Ler mais




sábado, 7 de abril de 2012

Dois tipos básicos de oração

"Diferentes que são entre si, as pessoas valem-se de dois tipos básicos de oração: a prece centralizada no homem e a prece centralizada em Deus. As pessoas, cuja oração centra-se no homem, imploram a Deus que lhes enriqueça a vida aqui na terra, afastando os sofrimentos, provendo-os de riqueza, sucesso e conforto. A oração centrada em Deus é motivada pela devoção e pelo discernimento espiritual. As pessoas cujas preces tem Deus como centro buscam apenas a Ele, sabendo que a manifestação de Deus é o único propósito da vida.


O Pai-nosso está centrado em Deus, e nele Jesus nos ensina como nos absorvermos na consciência de Deus, como encontrar a alegria e a liberdade eternas. Quem quer que procure Deus com sinceridade, pode abordá-lo por meio do Pai-nosso. Não é preciso que adira a nenhuma crença ou dogma religioso. Se ele aceita a ideia de que Deus existe e pode ser compreendido, se ele segue os ensinamentos de Cristo, há de alcançar a perfeição."
___
In: O Sermão da Montanha segundo o Vedanta. Swami Prabhavananda. São Paulo: Pensamento, 1986. P. 89-90