domingo, 9 de outubro de 2011

Antes de começar a meditar

Por Swami Ashokananda *

"Eu creio que através da meditação, que é o ininterrupto fluxo de um mesmo pensamento em Deus, pode-se alcançar facilmente o Altíssimo. E é a mente que eventualmente sucumbe ante um pensamento a que é sujeita sem interrupção por um tempo prolongado. Se continuarmos infundindo na mente certo tipo de consciência - qualquer que seja a condição da mente em um princípio, espiritual ou não, cheia de amor para Deus ou com desejos intranqüilos – com o transcurso do tempo a mudança desejada se operará.

Sri Ramakrishna teve grande insistência quanto a isso. Para mim levou muito tempo assimilar um de seus ensinamentos sobre o tema, mas quando compreendi, e espero realmente tê-lo feito, encontrei nele uma grande esperança e segurança. Ele costumava dizer que a mente é como um tecido novo que toma a cor da tinta na qual foi mergulhada.
 
A princípio, pensei que ele queria dizer que a mente deve tornar-se absolutamente pura antes de ser mergulhada no pensamento de Deus etomar sua cor. Não via nada de particularmente alentador nisto, porque o grande problema de quase todos os aspirantes espirituais é precisamente alcançar a pureza da mente. Tal purificação equivale a três quartas partes da batalha, pois quando isso acontece, a realização espiritual vem espontaneamente. Certamente, à medida que refletia sobre o exemplo de Sri Ramakrishna, comecei a compreende-lo de outro modo.
 
Ao comparar a mente com um tecido novo, ele falava da mente comum, a mente que está tão atolada de pensamentos e sentimentos mundanos e contraditórios, e que é tão adversa ao pensamento de Deus. Não era a mente purificada a que ele assemelhava ao tecido novo, mas a mente em qualquer condição em que pudesse se encontrar. Vi que queria dizer que mesmo essa mente comum, se fosse mergulhada no pensamento de Deus, tomaria a cor espiritual."   Clique aqui para ler todo o artigo
________________
* Swami Ashokananda: (1893-1969) foi, durante os últimos trinta e oito anos de sua vida, o diretor da Vedanta Society of Northern California. Nascido e educado no que agora é Bangladesh, foi mestre de escola por pouco tempo, durante o qual se esforçou por colocar em prática os princípios de Swami Vivekananda de servir a Deus no homem, na comunidade de sapateiros. Uniu-se à Ordem Ramakrishna em1920 e prestou serviços principalmente como editor de sua revista Prabuddha Bharata, tendo se distinguido por seus editoriais, antes de ser destinado a San Francisco. Ali reavivou o monastério, fundou um convento e começou o que agora são as Sociedades Vedanta de Berkeley e Sacramento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe: