quinta-feira, 14 de abril de 2011

Trabalho e meditação

"Maharaj*: - Estás obtendo progresso em tuas práticas?

Discípulo: - Maharaj, não disponho de tempo suficiente para elas. Tenho muito trabalho.

Maharaj: - É um erro pensar que a meditação não pode ser praticada por falta de tempo. A causa real é a inquietude da mente.
O trabalho e a meditação devem marchar lado a lado. É muito bom se alguém pode dedicar-se por completo às práticas espirituais. Mas, quantos são os que podem fazer isso? Dois são os tipos de homens que podem sentar-se quietos sem trabalhar. Um é o idiota que é inerte em demasia para ser ativo. O outro é o santo que foi além de toda atividade. Como diz o "Gita": - "Sem ação ninguém pode alcançar a inação." A atividade é um meio para alcançar o estado de meditação. Mesmo aqueles que abandonaram todo o trabalho e levam uma vida ascética, têm que dedicar algum tempo para obter o necessário para viver.

Em vez de trabalhar para ti, trabalha para o Senhor. Dedica-te a teu trabalho, pensando que o fazes como adoração ao Senhor. Se puderes trabalhar com essa idéia, teu trabalho não te escravizará. Além disso, far-te-á um bem físico, intelectual, moral e espiritual. Oferece corpo e alma aos pés do Senhor.

Entrega-te a Ele por completo, sê Seu servidor e dize-lhe: - "Dou-te meu corpo, minha alma e tudo que tenho. Faze deles o que Tu quiseres; eu estou pronto para servir-Te com todas as minhas forças." Se puderes fazer isso, a responsabilidade eu bem-estar espiritual ficará com Ele. Não necessitarás preocupar-te mais; mas tens que entregar-te com toda a alma. Não o faças com dúvida em teu coração, "tomando o Nome do Senhor para cruzar o rio e ao mesmo tempo, levantando as roupas para que não se molhem." *

O trabalho e a adoração devem ser feitos juntos. ... A mente que está acostumada a seguir seus próprios impulsos, fará o mesmo durante o tempo da meditação. "
* Swami Brahmananda, filho espiritual de Sri Ramakrishna e primeiro presidente do Ramakrishna Mission.

* É uma referência à parábola de Sri Ramakrishna sobre a leiteira e o sacerdote brahmin. Uma leiteira fornecia leite a um sacerdote brahmin que vivia no outro lado de um rio. Devido às irregularidades no serviço dos barcos, ela não podia entregar-lhe o leite, com pontualidade, todos os dias. Uma vez, sendo repreendida por sua demora, a pobre mulher disse: - "Que posso fazer, senhor? Tenho que esperar muito tempo pelo barqueiro." O sacerdote repreendeu-a: - "Mulher!, cruza-se o oceano da vida repetindo o nome de Deus; e tu não podes cruzar este pequeno rio?" A mulher, em sua simplicidade, acreditou no sacerdote. A partir do dia seguinte, começou a cruzar rio, murmurando o nome de Deus. Um dia, o sacerdote perguntou-lhe como é que já não se atrasava como antes.

A mulher respondeu: - "Cruzo o rio, repetindo o nome do Senhor, como me mandaste." O sacerdote não podia crer e quis ver, por si mesmo, como a mulher cruzava o rio. A mulher levou-o com ela e começou a cruzar o rio, repetindo o nome do Senhor, enquanto caminhava sobre as águas. Mas ao olhar para trás, viu o sacerdote que a seguia com medo e que estava erguendo as roupas. "Como é isso", disse-lhe, "repete o nome do Senhor e, ao mesmo tempo, levanta as roupas para que não se molhem? Realmente, o senhor não confia em Deus."

Excertos do livro: O Eterno Companheiro, Swami Vijoyananda




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe: