quarta-feira, 20 de abril de 2011

Páscoa

Desejamos a você e a todos os seus uma Páscoa abençoada pela presença de libertadora do Cristo Vivo dentro de cada um de nós. Que seus esforços sejam coroados pelas transformações do cotidiano até as grandes transformações da alma.  Namastê!







quinta-feira, 14 de abril de 2011

Trabalho e meditação

"Maharaj*: - Estás obtendo progresso em tuas práticas?

Discípulo: - Maharaj, não disponho de tempo suficiente para elas. Tenho muito trabalho.

Maharaj: - É um erro pensar que a meditação não pode ser praticada por falta de tempo. A causa real é a inquietude da mente.
O trabalho e a meditação devem marchar lado a lado. É muito bom se alguém pode dedicar-se por completo às práticas espirituais. Mas, quantos são os que podem fazer isso? Dois são os tipos de homens que podem sentar-se quietos sem trabalhar. Um é o idiota que é inerte em demasia para ser ativo. O outro é o santo que foi além de toda atividade. Como diz o "Gita": - "Sem ação ninguém pode alcançar a inação." A atividade é um meio para alcançar o estado de meditação. Mesmo aqueles que abandonaram todo o trabalho e levam uma vida ascética, têm que dedicar algum tempo para obter o necessário para viver.

Em vez de trabalhar para ti, trabalha para o Senhor. Dedica-te a teu trabalho, pensando que o fazes como adoração ao Senhor. Se puderes trabalhar com essa idéia, teu trabalho não te escravizará. Além disso, far-te-á um bem físico, intelectual, moral e espiritual. Oferece corpo e alma aos pés do Senhor.

Entrega-te a Ele por completo, sê Seu servidor e dize-lhe: - "Dou-te meu corpo, minha alma e tudo que tenho. Faze deles o que Tu quiseres; eu estou pronto para servir-Te com todas as minhas forças." Se puderes fazer isso, a responsabilidade eu bem-estar espiritual ficará com Ele. Não necessitarás preocupar-te mais; mas tens que entregar-te com toda a alma. Não o faças com dúvida em teu coração, "tomando o Nome do Senhor para cruzar o rio e ao mesmo tempo, levantando as roupas para que não se molhem." *

O trabalho e a adoração devem ser feitos juntos. ... A mente que está acostumada a seguir seus próprios impulsos, fará o mesmo durante o tempo da meditação. "
* Swami Brahmananda, filho espiritual de Sri Ramakrishna e primeiro presidente do Ramakrishna Mission.

* É uma referência à parábola de Sri Ramakrishna sobre a leiteira e o sacerdote brahmin. Uma leiteira fornecia leite a um sacerdote brahmin que vivia no outro lado de um rio. Devido às irregularidades no serviço dos barcos, ela não podia entregar-lhe o leite, com pontualidade, todos os dias. Uma vez, sendo repreendida por sua demora, a pobre mulher disse: - "Que posso fazer, senhor? Tenho que esperar muito tempo pelo barqueiro." O sacerdote repreendeu-a: - "Mulher!, cruza-se o oceano da vida repetindo o nome de Deus; e tu não podes cruzar este pequeno rio?" A mulher, em sua simplicidade, acreditou no sacerdote. A partir do dia seguinte, começou a cruzar rio, murmurando o nome de Deus. Um dia, o sacerdote perguntou-lhe como é que já não se atrasava como antes.

A mulher respondeu: - "Cruzo o rio, repetindo o nome do Senhor, como me mandaste." O sacerdote não podia crer e quis ver, por si mesmo, como a mulher cruzava o rio. A mulher levou-o com ela e começou a cruzar o rio, repetindo o nome do Senhor, enquanto caminhava sobre as águas. Mas ao olhar para trás, viu o sacerdote que a seguia com medo e que estava erguendo as roupas. "Como é isso", disse-lhe, "repete o nome do Senhor e, ao mesmo tempo, levanta as roupas para que não se molhem? Realmente, o senhor não confia em Deus."

Excertos do livro: O Eterno Companheiro, Swami Vijoyananda




domingo, 3 de abril de 2011

Equidade e Igualdade na espiritualidade

"A igualdade para todos é a essência dos princípios morais da Vedanta".

"A idéia de privilégio é a maldição da vida humana. ... a idéia de privilégio começa sendo exercida, de maneira brutal, pelos fortes sobre os fracos. Há o privilégio da riqueza: o homem que tem mais dinheiro quer ter regalias sobre o que tem menos. Existe o privilégio, ainda mais sutil e poderoso, do intelecto: o homem que tem mais conhecimento exige maiores prerrogativas. Finalmente, o pior de todos os privilégios, por ser o mais tirânico, é o da espiritualidade; os que pensam conhecer mais sobre Deus e a vida espiritual, reclamam para si as mais altas regalias.

Ninguém pode seguir a Vedanta e ao mesmo tempo admitir que qualquer tipo de privilégio fisico, mental ou espiritual seja exercido; de maneira categórica, não se admite privilégio para ninguém. O mesmo poder está dentro de cada pessoa; alguns o expressam mais, outros menos. Temos o mesmo potencial. Quem pode exigir privilégios?

A tarefa da Advaita é extinguir os privilégios.

... O mundo subjetivo governa o objetivo. Mude a causa e o efeito necessariamente mudará. Purifique-se e o mundo necessariamente se purificará. Agora, mais do que nunca, precisamos desses ensinamentos. Cada vez mais nos ocupamos de nosso vizinho e cada vez menos nos ocupamos de nós mesmos. O mundo mudará se mudarmos; se nos purificarmos o mundo se purificará. Eis a questão: por que ver o mal nos outros?

O sujeito mudou, então o objeto necessariamente mudará. Assim fala quem pratica a Vedanta. Quando chegarmos a este maravilho estado de igualdade, de equanimidade, haveremos de rir do que consideramos as causas da miséria e do mal. Na Vedanta isso se chama "alcançar a liberdade". O sinal de que nos aproximamos da liberdade é a manifestação cada vez maior de equidade e igualdade.



Assim, eliminando o privilégio e tudo em nós que o reforça, coloquemos em prática o conhecimento que permeará o sentimento de igualdade por toda a humanidade. Você se julga superior ao homem comum por usar uma linguagem mais refinada. Lembre-se que ao pensar dessa forma você não está caminhando para a liberdade, mas forjando mais um grilhão para seus pés. Acima de tudo, se a soberba da espiritualidade possuí-lo, infeliz de você. É a pior escravidão que existe. Nem a riqueza, nem qualquer outra coisa que possa aprisionar o coração humano, consegue oprimir tanto a alma. "Sou mais puro que os outros" é o pior pensamento que pode penetrar no coração humano. De que maneira você é puro? O Deus em você é o Deus em todos. Se você não tem conhecimento disso, não sabe nada. Como pode haver diferença? Tudo é um só. Cada criatura é templo do Altíssimo. Se você pode perceber isso, ótimo. Caso contrário, a espiritualidade ainda não chegou a você."

Swami Vivekananda, O que é Religião, Rio de Janeiro: Lótus do Saber, 2004, p.68-74 (excertos)