quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Meditação com ou sem objeto

Excertos de Swami Vivekananda

"Swami Shuddananda: Qual é a real natureza da meditação?

Swamiji: Meditação é a focalização da mente num objeto. Se a mente consegue a concentração num objeto, ela pode se concentrar em qualquer outro objeto.

Discípulo: As escrituras mencionam dois tipos de meditação — uma tendo algum objeto e a outra sem objeto. O que significa tudo isto e qual das duas é superior?

Swamiji: Primeiramente, a prática da meditação deve ser feita sobre algum objeto diante da mente. Numa certa época eu costumava concentrar minha mente em algum ponto preto. No fim, durante aqueles dias, eu não conseguia mais ver o preto, nem notar que o ponto estava diante de mim — a mente não mais existia — nenhuma onda de pensamento aparecia, como se tudo fosse um oceano sem nenhuma lufada de ar. Naquele estado eu experimentava relances de uma verdade que ultrapassava os sentidos. Assim, penso que a prática da meditação mesmo com algum trivial objeto externo leva à concentração mental. Mas é verdade que a mente facilmente alcança a quietude quando a gente pratica a meditação com algo no qual nossa mente está mais apta para se fixar. Esta é a razão pela qual neste país (Índia) fazemos tanto culto a imagens de deuses e deusas. O real objetivo é colocar a mente sem funcionamento, mas isto não pode ser conseguido, a menos que alguém fique absorvido nalgum objeto.

Discípulo: Mas, se a mente fica completamente absorta e identificada com algum objeto, como poderá nos dar a consciência de Brahman?

Swamiji: Sim, embora a mente primeiro assuma a forma do objeto, mais tarde, a consciência do objeto se esvanece. Então, somente permanece a experiência desse estado." (VI. 486-87)

3 comentários:

  1. Oi Lívia!

    Então poderiamos sem nenhum problema substituir o ponto preto por algum objeto, por exemplo uma imagem de Deus?

    Se sim, teriamos que focar na imagem, tal como no ponto preto, e quando a nossa mente voar teriamos que voltar? Ou poderiamos eventualmente deixar a mente vaguear nas características da imagem?

    O ideal é não permitir que as ondas surjam, não é?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. "Quanto maior concentração, maior será o poder exercido sobre um ponto. Esse é o segredo. É mais fácil concentrar-se nas coisas externas, pois a mente naturalmente se volta para fora. O mesmo não acontece com religião, psicologia ou metafísica, em que o sujeito é o mesmo que o objeto. O objeto é interno - a própria mente é o objeto - é necessário estudar a mente em si. A mente estudando a mente." Swami Vivekananda, O Que é Religião, p. 156/7

    Augusto, a imagem de um aspecto de Deus facilita despertar a devoção e a identificação com Ele. Meditar em alguma de suas características é transformar essa característica em um ponto de convergência para onde a mente deve sempre retornar e aprofundar sua percepção. A escolha do objeto depende da natureza de cada um.

    "Objeto após objeto é testado, e em cada um deles projeta-se o ideal interno. Nenhum dos objetos externos é julgado um representante digno do ideal interno, sempre em expansão e, naturalmente são todos rejeitados, um após outro. Por fim, o aspirante começa a pensar que é inútir tentar sobrepor seu ideal aos objetos externos, que nada são quando comparados ao próprio ideal. No decurso do tempo, o bhakti iogue adquire o poder de realizar, inteiramente, seu ideal abstrato, o mais elevado e universal, uma abstração que para ele é bem viva e real." Idem, p. 286/7

    ResponderExcluir
  3. "A meditação deve começar com objetos densos, ascender lentamente aos objetos cada vez mais refinados, e chegar à meditação sem objeto." Sw. Vivekananda, O que é Religião, p. 187

    ResponderExcluir

Compartilhe: