quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Inspiração da Semana

“Cada pensamento é uma onda que se ergue e se desfaz. Os pensamentos mudam a cada instante e são substituídos por novos pensamentos, ora intensos, ora insignificantes, assim como as ondas do mar podem ser grandes ou pequenas.
Isso acontece dia e noite com todos. Por causa dessas ondas contínuas, jamais temos verdadeira consciência do que é a vida real. Quando conseguimos acalmar essas ondas, a mente se transforma num oceano tranqüilo e começamos a ver as coisas de modo diferente. A partir desse momento, atingimos um estado muito elevado.
... Inicialmente, devemos considerar o fato de que nossa mente está sempre agitada e em atividade constante. A prática da meditação deve por um fim a essa situação, fazendo com que cessem por completo as contínuas ondas de pensamentos. Para isso é necessário perseverar, apesar de todas as dificuldades que existem para uma prática adequada da meditação. Nos Yogas Sutras, Patânjali escreveu: “Alguns jamais conseguem acalmar-se. Estão sempre agitados e não permanecem tranquilos nem mesmo por alguns instantes”.
No Bhagavad Gita, Arjuna diz também:
Tu me ensinaste a yoga da equanimidade. Contudo, em razão da natureza agitada da minha mente, não consigo permanecer nesse estado por muito tempo.
Realmente, ó Krishna, a mente é sempre inconstante, turbulenta e rebelde. Ela me parece tão difícil de controlar como o próprio vento. (VI:33-34)

Como acabei de dizer, nós não estamos separados dos pensamentos, nós nos identificamos sempre com eles. Esse é o verdadeiro problema. A identificação com os pensamentos cria todo tipo de obstáculo e provoca muitas reações. Algumas vezes nos sentimos felizes, outras infelizes; isso se deve unicamente a nossos pensamentos que mudam em consequência de acontecimentos agradáveis ou desagradáveis. Somos influenciados por eles e, por isso, agimos de um modo ou de outro. Segundo a orientação de Swami Vivekananda, a primeira etapa para a meditação é você se transformar na testemunha de seus pensamentos. Faça isso, preste atenção em seus pensamentos na qualidade de simples testemunha, você de um lado e seus pensamentos de outro. Talvez seja algo difícil de conseguir, mas o esforço é imprescindível."
 Swami Ritajananda,  A Prática da Meditação, Rio de Janeiro: Lótus do Saber, 2006, p. 31-33.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe: